II Simpósio maranhense sobre a doença de Alzheimer

Nos dias 18 e 19 de setembro de 2013 a Associação Brasileira de Alzheimer Regional Maranhão (ABRAz/MA) promoverá o II Simpósio Maranhense sobre a Doença de Alzheimer, no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MA), na Rua Dr. Pedro Emanoel de Oliveira – Calhau. O evento contará com diversas palestras e mesas redondas sobre prevenção, diagnóstico e tratamento da doença.

Dentre os palestrantes, haverá doutores, mestres e especialistas na área da saúde. O evento contará com a presença do Dr. Paulo Renato Canineu, geriatra com mestrado e doutorado pela Universidade de São Paulo.


A inscrição para o evento custa R$ 20,00 e pode ser feita no Núcleo Maranhense de Análise do Comportamento (NMAC), na Rua da Odontologia, Quadra 07, Casa 07 – Cohafuma. 

Outras informações: 8208 1238, 8808 6078 ou 8851 2901. 

VI Caminhada da Memória

No dia 21 de setembro, Dia Mundial da Doença de Alzheimer, haverá a VI Caminhada da Memória, às 15h30 com concentração na Av. Litorânea, em frente à praça de alimentação (parquinho).

II Sarau da Solidariedade

A programação do dia 21 de setembro também contará com o II Sarau da Solidariedade, às 17h também na Avenida Litorânea, em frente à Praça do Pescador. 

Saiba mais sobre a ABRAz

A ABRAz é uma entidade sem fins lucrativos, que atua na área da educação em saúde, sendo formada por profissionais voluntários de diversas áreas de saúde, familiares da pessoa com Doença de Alzheimer (DA) e cuidadores.

Tem como objetivo transmitir informações sobre o diagnóstico e tratamento da DA e também orientar sobre os aspectos cotidianos do acompanhamento da pessoa com DA.

Dentre nossas atividades, contamos com Reuniões Mensais, Grupos de Apoio aos Cuidadores e Familiares, que acontece sempre no 1º sábado de cada mês, às 15 horas, no SESC DEODORO, e pelo email:maranhao@abraz.org.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação Elitizada ou Direito para todos

Compreendendo que dentro da educação existe o extremismo, que perambula por muitos ambientes e de vários contextos, o que torna imensamente complicado falar de acesso