A campanha do Setembro Amarelo foi criada para conscientizar a sociedade em torno da discussão de uma temática desafiadora e cada vez mais presente em nosso cotidiano, o suicídio.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), todo o mundo uma pessoa tira a própria vida a cada 40 segundos. O suicídio infelizmente teve um crescimento em nosso estado assim como em todo o mundo. Em algumas regiões do Maranhão, chegamos a ter mais de 7 casos em uma única semana. Segundo um relatório da ONU, o suicídio foi a segunda principal causa de morte entre jovens com idades entre 15 e 29 anos, ficando atrás apenas de acidentes de trânsito.

Para ajudar a parar esses números, não basta apenas falar sobre o suicídio ou dizer às pessoas que podem contar conosco. É necessário ter conhecimento crítico e estar preparado pessoalmente para lidar com a própria morte e do outro, para de fato compreender esse fenômeno complexo que nos assola. Segundo a Psicologa, Mestre em Psicologia Social e especialista em Saúde Mental, professora Janete Valois, “É necessário conhecer os serviços que prestam auxilio às essas pessoas e indicar-lhes caminho de ajuda. É preciso não ter medo de falar da morte e enfatizar a importância da vida. É preciso mais que ouvir, é preciso acolher a dor do outro sem julgamento”.

A ajuda deve ser buscada junto aos serviços e profissionais de saúde mental na rede pública e particular e ainda temos CVV (Centro de Valorização à Vida) que muito tem contribuído com esta temática e redução de casos de suicídios. Devemos dar atenção especial aos jovens com mudança de comportamentos, e que estão em sofrimento.

“Sofrimento faz parte de nossa vida. Precisamos ensinar nossas crianças e jovens que o sofrimento faz parte do viver mas que temos recursos psicológicos, sociais e espirituais para supera-los. Ensinar que as dificuldades da vida existem para crescemos e nos realizar como seres humanos em nossa totalidade. Precisamos mostrar a quem amamos, de forma evidente, que estaremos sempre lá para o que precisarem”, completou Janete Valois.

Precisamos aprender enquanto sociedade a cuidar um dos outros e estarmos atentos às várias doenças psiquiátricas que podem ser facilitadores para o cometimento de suicídio. O sofrimento mental pode e deve ser diagnosticado e tratado.

 

Janete Valois é Psicologa, Mestre em Psicologia Social, Especialista em Saúde Mental, Gestão de Serviços de Saúde e Docência do Ensino Superior. Coordenadora de Pós-graduação Latu sensu em Saúde Mental e Atenção Psicossocial, Docente na Faculdade Laboro. Também é Coordenadora Técnica EAP/MA (DASM/SES/MA), Coordenadora do Grupo Condutor RAPS do Maranhão (DASM/SES/MA), Apoiadora Institucional Região de Saúde de Imperatriz (DASM/SES/MA) atuando como Técnica da Coordenação Estadual de Saúde Mental do MA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *