Professor de educação especial: conheça a área, salário e mais

professora dando aula
Escola foto criado por freepik – br.freepik.com

Com as escolas, creches e outras instituições de ensino dando a devida importância à educação inclusiva, o papel dos profissionais da área se torna cada vez mais necessário.

Então, para descobrir como se tornar um professor de educação especial e quais as características da profissão, continue a leitura!

O que é a educação especial e inclusiva?

A educação inclusiva nada mais é do que a garantia de educação para todos. O princípio é prezar a igualdade, fazendo com que todos tenham acesso à aprendizagem.

Tendo isso em mente, as escolas e outras instituições que realmente apoiam a educação inclusiva devem seguir alguns critérios, como:

  1. O ambiente escolar e seu convívio deve beneficiar a todos;
  2. Todas as pessoas aprendem;
  3. O processo de aprendizagem é individual.

Entretanto, uma das principais práticas inclusivas é a inclusão de pessoas com deficiência, visto as dificuldades que, até alguns anos atrás, essas pessoas sofriam em relação à educação.

Quanto ganha um professor de educação especial?

O salário de um professor da área pode variar, principalmente, de acordo com sua experiência.

O valor tende a ser entre R$1.670,00 (para professores com pouco tempo na área) e R$3.760 para os professores com mais experiência e tempo de trabalho acumulados.

Entretanto, no Brasil, a média salarial para professores da educação inclusiva é de, aproximadamente, R$2.597,00.

Como ser um professor de educação especial

Para quem deseja ingressar na área como professor, existem duas alternativas.

É possível fazer uma licenciatura em Educação Especial, que é considerada a maneira mais rápida.

Entretanto, para os profissionais que desejam poder contar com mais possibilidades de vagas após a graduação, é recomendado o curso de Pedagogia, com pós-graduação em Educação Especial (saiba mais sobre mestrado e doutorado).

Os requisitos básicos para ser um professor de educação especial são:

  1. Ter boa comunicação, sobretudo com crianças;
  2. Ser paciente e empático;
  3. Contar com muita criatividade, porém, também ter responsabilidade;
  4. Ser flexível e dinâmico.

Como é o curso de Educação Especial?

Durante a licenciatura ou pós-graduação em Educação Especial, além das disciplinas comuns da área (como educação infantil e psicologia da educação, por exemplo), são ensinadas noções básicas de:

  1. Linguagem de Libras;
  2. Braille;
  3. Comunicação alternativa;
  4. Tecnologias assistivas.

Isso faz com que o profissional esteja preparado para lidar com as mais diferentes situações. Afinal, alguns alunos podem precisar de professores com conhecimentos como estes.

Como atua um professor de Educação Especial?

Por se tratar de uma área com diversas possibilidades e situações, não é possível definir uma forma exata de atuação dos profissionais.

É muito comum que os professores de educação especial atuem em escolas públicas e/ou privadas, acompanhando alunos com deficiências físicas, mentais, múltiplas, auditivas ou visuais.

Entretanto, pessoas com esta formação também podem trabalhar, por exemplo, em hospitais, centros comunitários e até clínicas de recuperação.

Você gostaria de ser um professor de Educação Especial?

Então, garanta a sua vaga em uma universidade de nota máxima no MEC e se torne um ótimo profissional!
Venha para a Laboro conhecer o nosso curso de Pedagogia online ou presencial e dê o primeiro passo!