Produção e Inovação: Yoga no Pré-natal: Prática Integrativa em Saúde

Este texto é fruto da disciplina de Pós-Graduação “Produção e Inovação Científica” ministrada como último módulo para a formação dos alunos da Laboro. Nela, os alunos aprendem como aplicar conceitos e ferramentas de forma assertiva e criativa para fomentar a inovação na ciência.

Autoras: Franscilene AZEVEDO; Tatiana AZEVEDO; Valdete BRUNACCI- Alunas do Curso de Saúde da Família e Comunidade

Orientadora: Profª Ma. Bruna Almeida

Atualmente no Brasil, as taxas de morbimortalidade materno infantil continuam existindo. Neste sentido, o acompanhamento pré-natal adequado, reduz indicadores negativos e promove melhor qualidade de vida durante e após a gestação. Para tanto, faz-se necessário que o profissional de saúde seja qualificado (CUNHA et al., 2009).

Segundo Cunha et al., (2009), as altas taxas de morbimortalidade materna ainda permanecem como um desafio a ser superado e a atenção qualificada no pré-natal pode contribuir para uma maternidade segura.

A esse respeito, o Ministério da Saúde, com vistas a minimizar tais complicações vem investindo em políticas públicas de saúde. No ano de 2006, foi instituída a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), inicialmente com 05 práticas, sendo incluída somente em 2017, a prática do yoga (BRASIL, 2017).

Diante deste contexto, surge o questionamento norteador do tema: Qual a contribuição do yoga para minimizar as complicações e intercorrências durante o trabalho de parto?

De acordo com Amber Land (2003, p.10), “o yoga baseia-se numa combinação de técnicas, que exercem um efeito subtil sobre o todo da pessoa, influenciando o corpo, o intelecto e as emoções”.

Assim sendo, a prática do yoga durante a gestação trás vários benefícios físicos, mentais, hormonais e emocionais tais como: melhora do equilíbrio; do funcionamento intestinal; da circulação sanguínea; da oxigenação mãe e concepto; das dores e postura adequada. (FADYNHA, 2009).

A técnica de respiração e relaxamento estimula a comunicação com a vida intrauterina e proporciona vantagens no parto e no pós-parto, além desses benefícios a prática inibe doenças e infecções. Prepara a mãe para um parto tranquilo, livre de tensões emocionais, como medo e ansiedade (IYENGAR, 2010).

Diante das evidencias decorridas durante o estudo, detectou-se a necessidade da implantação de novas práticas complementares à assistência pré-natal, uma vez que, tais medidas contribuem com a melhoria da qualidade de vida e saúde da gestante e do recém-nascido.

É de conhecimento público e notório, a existência de complicações e riscos durante e após a gravidez como atestam os indicadores disponibilizados nos sistemas de saúde, tendo como exemplo, a pré-eclâmpsia/eclâmpsia que pode levar ao descolamento prematuro da placenta e ocasionar transtorno ao nascituro.

Devido a isso, sugere-se, a implantação da prática do yoga nas Unidades Básicas de Saúde, durante o programa de acompanhamento pré-natal, através de campanhas educativas de sensibilização, qualificação dos profissionais envolvidos e motivação do público alvo, pois tal inovação auxilia na prevenção de intercorrências no parto.

Fica nítida então, a necessidade de uma assistência precoce às gestantes, sendo que esta ação conjugada com a adoção da prática do yoga associada aos demais processos de acompanhamento mitigará custos e riscos antes, durante e após o trabalho de parto.

REFERÊNCIAS

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 849, de 27 de março de 2017. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, 28 de março de 2017. Seção 1, p. 68. Disponível em: <https//www.jusbrasil.com.br/diários/1413155541/dou-secao-1-28-03-2017-pg-68. Acesso em 15 de março de 2019.

CUNHA, Margarida de Aquino et al. Assistência pré-natal: competências essenciais desempenhadas por enfermeiros. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, p. 145-153, Março, 2009.   Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php? script=sci_ arttext&pid=S1414-81452009000100020&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 09 de março 2019.  http://dx.doi.org/10.1590/S1414-81452009000100020.

FADYNHA. Yoga para gestantes: método personalizado. 2ª ed. São Paulo. Editora Ground, 2009.

IYENGAR, B. K. S. Sabedoria e Prática da Yoga. Tradução Candombá. São Paulo. Publifolha, 2010.

LAND, A. Yoga na Gravidez. Tradução Ana Vasconcellos. Editorial Estampa. Singapura, 2003.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *