O Papel das Equipes de Capacitação e Autodesenvolvimento (ECOA) na Melhoria do Clima Organizacional em bancos

Uma das grandes questões enfrentadas nas organizações é a melhoria do clima organizacional. Clima é um retrato da empresa e representa as percepções dos colaboradores em relação ao ambiente interno. Uma das estratégias a ser utilizadas pelos bancos em relação ao clima é a criação das Equipes de Comunicação e Autodesenvolvimento (ECOA) composta por funcionários de cada dependência.

Este texto é fruto da disciplina de Pós-Graduação “Produção e Inovação Científica” ministrada como último módulo para a formação dos alunos da Laboro. Nela, os alunos aprendem como aplicar conceitos e ferramentas de forma assertiva e criativa para fomentar a inovação na ciência.

Autora: Cíntia Ferraz, aluna do MBA em Gestão de Pessoas e Liderança.

Orientadora: Professora Me. Bruna Almeida

Vários estudos estão sendo realizados ao longo das décadas no intuito de entender o que é clima e quais são as suas variáveis. Para LUZ (1995, p. 22, apud FERREIRA, 2013, p.139) “o clima é resultado do estado de espírito ou de ânimo das pessoas, que predomina em um ambiente organizacional em um determinado período”.

Entender as variáveis que impactam no clima é fundamental para que a empresa realize a sua mensuração por meio de pesquisa e trabalhe em prol da sua melhoria. Para Ferreira (2013, p. 140) o trabalho realizado, salário, benefícios, integração entre os departamentos, liderança, comunicação, treinamento, progresso profissional, relacionamento interpessoal, estabilidade no emprego e participação dos funcionários, são fatores que quando bem administrados e mensurados contribuem significativamente para um clima agradável entre os colaboradores.

Neste sentido, no intuito de promover maior integração entre os colaboradores, propõe-se a criação das Equipes de Comunicação e Autodesenvolvimento (ECOA), cujo objetivo principal é auxiliar a administração das dependências nas ações de comunicação interna, capacitação e qualidade de vida dos funcionários, reconhecimento, clima

organizacional, fortalecimento e disseminação da cultura da empresa, ecoeficiência e voluntariado empresarial, sendo formada por funcionários voluntários, eleitos por voto direto dos colegas.  Segundo Ferreira (2013, p.150) a variável liderança visa identificar a satisfação dos funcionários com seus gestores: se existem respeito, feedback,, concessão de autonomia e fornecimento de apoio. Nesse aspecto, a ECOA tem papel importante, pois, esta funciona como um elo entre os funcionários e a liderança, auxiliando os gerentes em ações que propiciam um clima agradável nas dependências.

Dentre as funções da ECOA, destaca-se o incentivo a uma comunicação transparente, pois como essa equipe estará integrada ao corpo funcional e é composta por colaboradores da própria agência ela conseguirá ouvir de maneira mais próxima os anseios dos funcionários, gerando assim um melhor relacionamento da empresa com o seu público interno e o desenvolvimento de alternativas que favoreçam uma gestão mais participativa. Para Walker (2016, p.331) a comunicação interna, se refere aos esforços da gestão no sentido de fornecer informações e exercer influência em relação à participação organizacional.

No que tange à capacitação, o papel da ECOA é divulgar e incentivar os demais funcionários à participarem de cursos disponibilizados pelos bancos, bem como, na necessidade desses de se aprimorarem por meio de cursos de graduação, pós-graduação, certificações internas e externas, sendo que, os bancos anualmente poderão ofertar centenas de bolsas de estudos em diversas áreas de aprendizagem como forma  de incentivo ao crescimento profissional e ao encarreiramento. Na visão de Chiavenatto (2014, p. 311) ao desenvolver habilidades nas pessoas, as organizações estão transmitindo informações e incentivando o desenvolvimento de atitudes e conceitos, simultaneamente.

Observa-se que a ECOA contribui de forma significativa com a melhoria do clima das empresas, pois ela atua nas principais variáveis que o compõem, na qual podemos citar, entre outros, a comunicação, relacionamento interpessoal/liderança e capacitação ou treinamento.

Se você se interessou por esta área, saiba mais sobre o MBA em Gestão de Pessoas e Liderança.

REFERÊNCIAS

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações, Editora Manole, 2014. Disponível em: https://unibb.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788520445495/. Accesso em: 18 Maio de 2020.

FERREIRA, Itala, P. Série MBA – Gestão de Pessoas – Clima Organizacional e Qualidade de Vida no Trabalho, LTN, 2013. Disponível em: https://unibb.minhabiblioteca.com.br/#/books/978-85-216-2383-0/. Accesso em: 18 Maio de 2020.

WALKER, R. Gerenciamento Estratégico de Comunicação para Líderes – Tradução da 3ª edição norte-americana. [Digite o Local da Editora]; Cengage Learning Brasil, 2016-06-02. Disponível em: https://unibb.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788522121014/. Accesso em: 31 Maio de 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *