Hábitos de vida, genética entre outros fatores podem ser os causadores do aparecimento da acne, sendo importante uma abordagem ampliada para tratamento. Na busca da melhora do quadro inflamatório, estudos de métodos alternativos são necessários para tratamento de pacientes que não desejam ou não podem recorrer a métodos mais agressivos. Uma possibilidade que podemos encontrar nas plantas medicinais.

Este texto é fruto da disciplina de Pós-Graduação “Produção e Inovação Científica” ministrada como último módulo para a formação dos alunos da Laboro. Nela, os alunos aprendem como aplicar conceitos e ferramentas de forma assertiva e criativa para fomentar a inovação na ciência.

Autora: Jessika Neves – Aluna do curso de Pós-Graduação em Nutrição Clínica e Fitoterápica

A busca por métodos alternativos para melhora da acne tem se mostrado cada vez mais frequente, com o propósito de evitar os tratamentos agressivos que podem acarretar efeitos colaterais e que possuem alto custo. Requerendo dedicação, restrição e muita responsabilidade no cuidado por parte dos pacientes.

Constante na vida de adolescentes e adultos a acne não traz apenas problemas estéticos, mas também psicológicos, visto que o portador da patologia apresenta sinais de inflamações podendo conter pus, inchaço, vermelhidão e dor, causando repulsa de muitas pessoas. Fazendo com que o indivíduo se isole, dificultando o convívio com a sociedade.

Pensando em métodos alternativos, será que as plantas medicinais são capazes de controlar a acne? Uma avaliação clínica profissional é necessária para a melhor escolha terapêutica de tratamento, favorecendo a adesão e segurança do paciente a fim de atingir a eficácia.

Este trabalho traz como objetivo geral, a demonstração de método alternativo para controle da acne através das plantas medicinais. E como objetivos específicos, conhecer mecanismos de ação, apontar a eficácia das plantas medicinais na patogênese da acne, e recomendar intervenção para controle.

A metodologia utilizada para a escrita deste trabalho foi a de revisão bibliográfica, onde foram realizadas pesquisas em livros e artigos, publicados nos últimos oito anos, as buscas pelo conteúdo foram feitas em sites acadêmicos com base no título deste trabalho.

A acne caracteriza-se por ser uma doença crônica de origem multifatorial, onde há presença da unidade pilossebácea inflamada, manifestando em partes do corpo onde possuem glândulas sebáceas de maior tamanho e quantidades como rosto, peito, ombros e costas. Com a presença de um comedão, popularmente conhecido como cravo. O comedão se forma através da obstrução por excesso de células queratinizadas e sebo no acroinfundibulum folicular (KEDE; SABATOVICH, 2015).

Conforme Cubas e Ribas (2021), demonstram que entre os inúmeros benefícios terapêuticos destacados nas plantas utilizados pelos nossos ancestrais, ressaltam-se os moduladores imunológicos naturais, com ação anti-inflamatórias e antibacteriana. Podendo atribuir resultados positivos contra a patogênese da acne.

Atualmente com o avanço da tecnologia e facilitadores para aquisição de alimentos se tornou um padrão de consumo de uma dieta ocidentalizada composta por alimentos ricos em carboidratos simples e gorduras saturadas e trans favorecendo ao quadro inflamatório do indivíduo e consequentemente aumentando a incidência de acnes.

Existem estudos como o de Cubas e Ribas (2021), envolvendo o chá verde e de Von, Srivastava e Modi (2018) apontando o alecrim, camomila e calêndula, e seus efeitos capazes de diminuir a inflamação, atividade antibacteriana e sebossupressora, atribuído aos antioxidantes e compostos fenólicos sendo esses ativos considerados importantíssimos para o controle da acne.

Possui a necessidade de mais estudos acerca do tema para estabelecimento de quantidades recomendadas de consumo oral desses compostos para obtenção de benefícios contra acne e evitar toxidade do organismo. Como alternativa de intervenção recomenda-se mudança de hábitos de vida tais como inserção de atividade física, consumo de alimentos saudáveis in natura e minimamente processados e em coadjuvante uso de compostos a base de plantas medicinais em forma de chá ou medicamento fitoterápico, devendo ser avaliado e prescrito por profissional especialista.

É profissional da Nutrição em busca de conhecimento?

Clique aqui e conheça as pós-graduações na área de NUTRIÇÃO E EDUCAÇÃO FÍSICA

Se torne um especialista de Excelência.

Garanta já sua vaga!

REFERÊNCIAS

CUBAS, V. M.; RIBAS, J. L. C. Alternative herbal medicine for acne treatment. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 2, p. e12810212153, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i2.12153. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/12153. Acesso em: 13 abril de 2022.

KEDE, Maria Paulina Villarejo; SABATOVICH, Oleg. Dermatologia Estética. São

Paulo: Editora Atheneu, 2015.

MINISTÉRIO DA SÁUDE. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Instrução Normativa N° 02 De 13 De Maio De 2014. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2014/int0002_13_05_2014.pdf. Acesso em: 13 abril de 2022.
VORA, Jaykant; SRIVASTAVA, Anshu; MODI, Hashmukh. Antibacterial and antioxidant strategies for acne treatment through plant extracts. Informatics in Medicine Unlocked, volume 13, pages 128-132, 2018. DOI: https://doi.org/10.1016/j.imu.2017.10.005. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2352914817302010. Acesso em: 13 abril de 2022.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Métodos Alternativos para Controle da Acne

Hábitos de vida, genética entre outros fatores podem ser os causadores do aparecimento da acne, sendo importante uma abordagem ampliada para tratamento. Na busca da