Método Canguru: benefícios para recém-nascidos

O Método Canguru é um modelo somatório na assistência neonatal, agregando na assistência que será prestada pela equipe multidisciplinar, e na participação familiar na execução da assistência dentro e fora do ambiente hospitalar.

Este texto é fruto da disciplina de Pós-Graduação “Produção e Inovação Científica” ministrada como último módulo para a formação dos alunos da Laboro. Nela, os alunos aprendem como aplicar conceitos e ferramentas de forma assertiva e criativa para fomentar a inovação na ciência.

O modelo Mãe Canguru foi desenvolvido e implementado pelos colombianos Edgar Rey Sanabria e Hector Martinez, em 1979, percebendo a dificuldade e a falta de infraestrutura para o atendimento ao recém-nascido.

O método deu tão certo que foi implementado no Brasil em 1992, no Hospital Guilherme Álvaro, em Santos e o Instituto Materno-Infantil de Pernambuco, ao longo dos anos foram criadas portarias e diretrizes políticas, e hoje nós conhecemos esse modelo como Método Canguru. (ZIRPOLI, et al. 2017) e ( FERREIRA et al. 2019)

O Ministério da Saúde, através da portaria nº 1.683, de 12 de julho de 2007, descreve as normas e as orientações sobre a prática do Método Canguru para recém-nascidos de baixo peso ou prematuros.

Método Canguru

O Método Canguru é um modelo assistencial neonatal gerado para o amparo mais humanizado dos recém-nascidos prematuros ou de baixo peso, com intuito de promover de forma progressiva o contato pele a pele entre mãe/família com o bebê, se baseando no modo como o canguru cuida do seu filhote.

A norma (BRASIL, 2017) propõe a aplicação do Método Canguru em três etapas, que variam desde pré-natal, nascimento, cuidados intra-hospitalares, alta hospitalar, e o acompanhamento ambulatorial. Diante do exposto surge o questionamento:

Quais os benefícios do método canguru para o recém-nascido e seus familiares?

Segundo Santos e Filho (2016) a importância do aumento do tempo entre mãe e filho estimula o aleitamento materno precoce, sendo fonte de nutrição e auxílio na formação, no fortalecimento imunológico, bem como no desenvolvimento psicomotor, beneficiando os sentidos motores e sensoriais do recém-nascido.

Além de auxiliar no controle térmico do bebê, aumentando as chances da redução do tempo de internação.

Os cuidados assistenciais serão realizados pela equipe multidisciplinar com a participação conjunta dos pais, fato que os beneficia tornando-os mais seguros e ativos nos cuidados a serem prestados aos seus filhos. (ROCHA e CHOW-CASTILLO, 2020)

Criação de laços afetivos

De acordo com Ferreira et al. (2019), o fortalecimento do vínculo e a criação de laços afetivos entre os pais e o bebê representa ganho no desenvolvimento do mesmo, minimizando assim as possíveis complicações e inseguranças que venham a surgir após a alta hospitalar.

Além de aumentar a confiança dos pais e assegurando conhecimento e treinamento sobre o recém-nascido, o que representa o empoderamento dos pais.

Diante do exposto neste estudo a disponibilidade de um método tão humanizado e de fácil acesso e baixo custo nos possibilita não somente usar o Método Canguru para o público-alvo (prematuros e baixo peso), mas ampliar a abrangência aos outros recém-nascidos.

Com isso estaremos os beneficiando no primeiro momento de vida, com aleitamento materno precoce e exclusivo, que é um dos pilares para o desenvolvimento sadio do recém-nascido, além do fortalecimento do vínculo familiar.

Isso representa a relevância de enxergar o paciente de uma forma mais empática e não somente com um olhar restrito e curativista.

Estudos

É de suma importância que os estudos nessa área continuem evoluindo com a criação de mais estratégias que consigam abranger outros bebês e seus familiares, disponibilizando novos cursos, criando e estabelecendo novos protocolos de cuidados para uma melhor assistência, garantindo e atualizando assim esse método que já está tendo muitos resultados positivos.

Todo e qualquer conhecimento transmitido durante o tempo de internação beneficia o paciente e seus familiares, aumentando a qualidade do cuidado e bem-estar do recém-nascido.

Consulte nossos Cursos.

Se torne um especialista de Excelência.

Garanta já sua vaga!

REFERÊNCIAS

BRASIL. Ministério da Saúde. Sistema de Legislação da Saúde. PORTARIA Nº 1.683, de 12 de julho de 2007 disponível: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2007/prt1683_12_07_2007.html. acesso em 7 de outubro de 2020

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Atenção humanizada ao recém-nascido : Método Canguru: manual técnico / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. –3. ed. –Brasília: Ministério da Saúde, 2017, 340 p

FERREIRA,D. O.; SILVA, M.P.C.; GALON,T.; GOULART, B.F.; AMARAL, J.B.; CONTIM, D. Método canguru: percepções sobre o conhecimento, potencialidades e barreiras entre enfermeiras, Esc. Anna Nery vol.23 no.4 Rio de Janeiro 2019

ROCHA,A.M.; CHOW-CASTILLO,L.A. Os Beneficios do Método Mãe Canguru na UTI Neonatal. Revista Científica Educandi & Civitas – v. 3 n. 1 . 2020

SANTOS, M.H.; FILHO, F.M. A. Benefícios do método mãe canguru em recém-nascidos pré-termo ou baixo peso: uma revisão da literatura* Universitas: Ciências da Saúde, Brasília, v. 14, n. 1, p. 67-76, jan./jun. 2016

ZIRPOLI, D.B.; MENDES, R. B.; BARREIRO, M.S.C.; REIS,T.S.; MENEZES,A.F Benefícios do Método Canguru: Uma Revisão Integrativa . Rev Fund Care Online. (n. esp):547-554, 2019