Mestrado Internacional: “Educação Permanente e a SESAI: uma análise da Política Nacional de Educação Permanente no âmbito da Secretaria Especial de Saúde Indígena”

Com o tema “Educação Permanente e a SESAI: uma análise da Política Nacional de Educação Permanente no âmbito da Secretaria Especial de Saúde Indígena”, Alexandre Oliveira Cantuária finaliza seu Mestrado Internacional em Ciência da Educação – Administração e Organização Escolar da Universidade Católica Portuguesa (UCP) em parceria com a Faculdade Laboro.

Alexandre é enfermeiro, graduado pela UNIGRANRIO. Com pós-graduações em Gestão e Docência do Ensino Superior pela Faculdade Laboro; Gestão de Redes de Atenção do SUS pela FIOCRUZ, Saúde Indígena pela UNIFESP e Urgência e Emergência pela Faculdade de Votorantim. Ao finalizar a Pós em Docência do Ensino Superior, iniciou seu Mestrado Internacional e tornou-se Mestre em Ciências da Educação pela UCP-BRAGA-PT. Defendeu sua dissertação sob a orientação do Prof. Dr. Carlos Estêvão.

A experiência do mestrado internacional oferecido pela Laboro em parceria com a UCP me transformou profissionalmente, os temas propostos na grade curricular do curso é de uma qualidade científica de alto nível. A transformação também aconteceu no campo social, a oportunidade de conhecer Portugal me trouxe muitas respostas de nossos comportamentos da vida cotidiana”.
Alexandre Oliveira Cantuária

Resumo do trabalho

O presente trabalho tem como objetivo caracterizar organizacional e administrativamente a SESAI – MA, seu território e a inserção de suas equipes multidisciplinares para entender melhor o processo de educação permanente. A Educação vem sendo abundantemente objeto de estudos científicos e muito se deve a necessidade de que o processo educativo seja efetivamente o caminho da evolução social de um determinado povo, que por sua vez, os povos caminhem sempre para um bem-estar social coletivo e individual. A Educação Permanente no Brasil vem sendo desenvolvida como um processo ético-político-pedagógico que, de maneira mais simples, é melhorar a qualidade de serviço prestado através da melhoria do conhecimento teórico e prático de seus trabalhadores aplicados especificamente às suas realidades laborais. No contexto da Educação Permanente em Saúde para os trabalhadores indígenas é de fundamental importância que esses pilares que conceituam o processo educativo sejam norteadores da elaboração das estratégias de Educação Permanente em Saúde oferecidas aos trabalhadores indígenas da SESAI. A pesquisa foi feita por meio de um questionário e entrevista com perguntas semiestruturada aplicado aos indígenas na aldeia e  aos técnicos de enfermagem não indígenas, público alvo das atividades de educação permanente executada pela SESAI (Secretária Especial de Saúde Indígena), sobre o respeito as características dos eixos de educação permanente em saúde. No trabalho foi verificado que o DSEI (Distrito Sanitário Especial Indígena do Maranhão) está preocupado com o conhecimento do seu pessoal, tanto branco quanto índio  e que a SESAI respeita as especificidades étnicas dos indígenas, certo que ela precisa ter mais avanços nesse aspecto. A compreensão de educação permanente nesta pesquisa é bem interessante, pois conhecer sobre o respeito das especificidades étnicas dos trabalhadores indígenas é de extrema importância para povos diferentes.

Para ler o trabalho completo é só clicar aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *