Mestrado Internacional: Educação e Tecnologias Digitais – A Gestão Escolar que alia a Estratégia da Gamificação ao Processo de Ensino-Aprendizagem

Com o tema “Educação e Tecnologias Digitais – A Gestão Escolar que alia a Estratégia da Gamificação ao Processo de Ensino-Aprendizagem” Larissa Berredo termina o seu  Mestrado em Educação  da Universidade Católica Portuguesa (UCP) em parceria com a Faculdade Laboro.

Larissa propõe a utilização das técnicas de game, uma das diversas tecnologias educacionais disponíveis hoje, no ambiente escolar. A pesquisadora, acredita que as inovações tecnológicas quando utilizadas com o potencial educativo têm muito a agregar para a formação cidadã do indivíduo e utiliza a ferramenta em sua pesquisa de campo para desenvolver os trabalhos do mestrado em uma das áreas que mais vem ganhando espaço em pesquisas acadêmicas, as tecnologias aplicadas à educação.

Iniciou os estudos no mestrado em Educação em 2014, ao iniciar a pós-graduação em Gestão Escolar e Docência pela Laboro, logo em seguida teve conhecimento do convênio da instituição com Portugal, surgindo assim o interesse em iniciar o mestrado. Em seu retorno ao Brasil, pretende continuar desenvolvendo pesquisas neste âmbito e evoluindo como aprendiz dessa valiosa área que é a educação.

Resumo do trabalho

O trabalho aborda a importância dos usos de aplicações digitais no contexto escolar como forma de estimular a colaboração espontânea dos alunos aos conteúdos disciplinares. A presença constante de dispositivos digitais na sociedade atual tem nos mostrado quão importante eles têm sido não apenas para o entretenimento nos momentos de folga e lazer, mas também para as necessidades diárias de atualização de informações. A construção do conhecimento tendo o aluno como o principal responsável pelo seu desenvolvimento e estando ele ciente de seu papel torna-o consciente de sua responsabilidade e mais crítico quanto aos meios que utiliza para este fim. Logo, a inserção de ferramentas de jogos no contexto educacional abandona o caráter lúdico que adquirira outrora e assume a função pedagógica, pois as organizações escolares, sob o prisma de mentoras do aprendizado, através da gestão, permitem o desenvolvimento de atividades inovadoras, dão o suporte necessário aos docentes para que o desenvolvimento ocorra de modo satisfatório e monitoram as aplicações funcionando como um termômetro para indicar a metodologia adequada a cada realidade de ensino.

Sobre a autora:

Larissa é graduada em Comunicação Social – Relações Públicas pela Universidade Federal do Maranhão, é MBA em Administração Estratégica e pós-graduada em Gestão e Docência do Ensino Superior, ambos pela Faculdade Laboro de São Luís-MA. Atua, desde 2011 no ramo da mineração, iniciando como Trainee e trabalhando, hoje, com capacitação profissional e treinamentos corporativos.

Para ler o trabalho completo é só acessar aqui.

4 Comments:
julho 25, 2019

Gostaria de saber mais sobre o Mestrado em Educação e Tecnologias Digitais.

julho 26, 2019

Oi, Wellington, ficamos felizes pelo seu interesse. Nossos consultores podem te explicar melhor sobre o Mestrado, para isso pedimos que deixe seu telefone com DDD, assim repasso a eles. Abraços

julho 31, 2019

Também gostaria de saber informações sobre o Mestrado em Educação e Tecnologias Digitais.

Rogério Mello
81 986144877

agosto 3, 2019

Olá Rogério! Obrigado pelo interesse!
Nós temos dois programas de mestrado atualmente. O Mestrado Internacional em Gerontologia Social Aplicada e o Mestrado Internacional em Ciências da Educação: Administração e Organização Escolar

Clique aqui para saber mais sobre os nossos programas de mestrado e não deixe de nos acompanhar nas nossas redes sociais:
https://www.instagram.com/faculdadelaboro/
https://www.facebook.com/faculdadelaboro/
https://www.linkedin.com/school/faculdade-laboro/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação Elitizada ou Direito para todos

Compreendendo que dentro da educação existe o extremismo, que perambula por muitos ambientes e de vários contextos, o que torna imensamente complicado falar de acesso