Gestão de Logística durante a pandemia da COVID-19 no Brasil

Logística e Covid 19

O que é Logística?

Antes de relacionar logística e  Covid  19, primeiramente vamos entender o seu significado. Nesse breve texto vou contextualizar sobre o que é logística e essa grande cadeia que integra diversos setores das organizações. Ligando o momento da decisão de compra de insumos e produtos até a sua colocação no ponto de venda ou no ponto de uso pelo cliente final. Os movimentos de logística integram diversos setores da organização. Não podem ser feitos desassociados. Alguns exemplos: financeiro, marketing, contabilidade, vendas, ativo fixo, transporte, manutenção, operação, dentre outros.
O profissional de logística, tanto no aspecto operacional quanto de planejamento, hoje, deve visualizar toda a organização. Caso contrário corre o risco de comprometer os resultados. A movimentação errada de mercadorias ou seu manuseio fora dos padrões podem gerar perdas e prejuízos financeiros, causados por multas, penalidades e/o processos judiciais, desgastando a imagem das organizações.

“Logística é o processo de planejamento, implementação e controle do fluxo eficiente e economicamente eficaz de matérias-primas, estoque em processo, produtos acabados e informações relativas desde o ponto de origem até o de consumo, com o propósito de atender às exigências dos clientes.
Council of Logistics Management (CLM, 1998)

A logística na pandemia do COVID-19

Logística e Covid 19

Ao iniciar essa discussão apresento alguns problemas de logística associados à pandemia e à indisponibilidade de vacinas para a população local. Gostaria que o leitor retirasse o viés político e ideológico desta abordagem, pois faço aqui, uma análise técnica considerando apenas, os aspectos logísticos. Por favor, não entendam que eu estou acusando lado “A” ou “B”, mas sim defendendo o lado técnico da logística no tratamento dessa questão.

São vários os erros cometidos pelo governo brasileiro na gestão logística e que se correlacionam, bem como aspectos que não foram considerados para o pleno atendimento da nossa população.

Logística e Covid 19

  • Enquanto o “mundo” trabalhava para comprar antecipadamente vacinas, o governo brasileiro se negou a negociar com os laboratórios;
  • Diz um ditado popular: “quem chega por último bebe água suja”, esse foi o caso do Brasil, pois chegou no balcão para comprar vacinas tardiamente, por isso não conseguiu as quantidades desejadas;
  • O Brasil historicamente possui larga experiência com vacinação, porém nada foi feito pelo governo central para usar esse legado;
  • Mesmo as vacinas compradas e entregues pelos fornecedores, não conseguiram chegar ao público final com rapidez, porque o planejamento central foi negligenciado e como consequência temos locais sem vacinas, locais com vacinas sobrando, além de desperdício de vacina pelo armazenamento inadequado;

Logística e Covid 19

  • Discutir e alinhar contratos de compra é uma atribuição da logística em sintonia com outros setores da organização ou das organizações como o setor financeiro e setor jurídico. Esse processo não pode ser negligenciado ou postergado. Isso aconteceu no Brasil, onde até recentemente, na primeira quinzena de março de 2021, discutia-se contratos de compra com laboratórios no auge da segunda onda da pandemia. Evidente que uma das consequências dessa negligência seria a falta de vacinas;
  • Não tem como montar infraestrutura hospitalar de atendimento de alto risco como num passe de mágica. São necessários materiais, equipamentos e insumos caros, específicos e não disponíveis no mercado, visto que tanto a iniciativa pública quanto privada no mundo estão demandando esses produtos. Aqui se percebe também a negligência na etapa de planejamento, bem como o desalinhamento com a demanda. Fazer a compra dos equipamentos, montar a infraestrutura e treinar profissionais leva muito tempo e deveria ter sido previsto antes do pico da pandemia.

Conclusão

Como percebido, não é apenas um problema ideológico ou partidário; é também um problema de gestão. De não usar as técnicas adequadas que exigem profissionais qualificados no segmento da logística de suprimentos hospitalares, isso para que a sociedade não sofra como atualmente.
Por fim apresento um conjunto de lições aprendidas:

  • É preciso ter pessoas qualificadas em logística desde o planejamento até a implementação das ações para suporte à pandemia;
  • As ações de planejamento e preparação da logística precisam ser iniciadas antes dos atendimentos;
  • Gestores devem aprender com casos passados;
  • Mesmo com a disponibilidade de recursos financeiros, os preços atingirão níveis estratosféricos, devido a lei de oferta e procura;
  • Insumos médicos hospitalares devem ser trabalhados antes da demanda e não durante;
  • A integração com outros setores no momento do planejamento é fundamental.

Acesse nossas redes, consulte nossos cursos, faça parte da Faculdade Laboro.

Autor:

Pierre Batista

Prof. Me. Pierre Batista Moraes Januário

Professor da Faculdade Laboro

Administrador, Doutor Honoris Causa em Administração, Mestre em Gestão de Empresas, Especialista em Desenvolvimento Econômico Local, MBA em Gerenciamento de Projetos, Professor de Graduação e Pós Graduação das áreas de negócios, projetos, gestão, desenvolvimento econômico local, comércio exterior, Brasil e América Latina. Atua nos setores público, privado e educação.

pierre@laboro.edu.br

Gostou do tema?
Que tal ter formação na área em uma Faculdade que te leva ao Sucesso? Conheça o curso de  Administração da Faculdade Laboro
Já é Graduado?
Conheça o MBA em Gestão Portuária e Comércio Internacional e os nossos cursos de Pós-Graduação 100% Online

2 Comments:
março 23, 2021

Excelentes abordagens, parabéns professor.

One Trackback:

[…] Gestão de Logística durante a Pandemia da COVID-19 no Brasil […]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *