INSERSÃO DA MACA (LEPIDIUM MEYENII WALP) EM BEBIDAS ENERGÉTICAS: INOVANDO AS BEBIDAS DO MERCADO BRASILEIRO

Destaca-se as propriedades terapeuticas da maca peruana, um produto nativo dos Andes no Peru. As ações terapeuticas estão relacionadas com aumento da fertilidade, aumento de energia, poder antioxidante, aumento de libido e taxa de crescimento. A ideia inovadora deste trabalho será de inserir esse fruto em uma bebida energética para proporcionar benefícios para a saúde, principalmente na saúde da mulher.

 

Este texto é fruto da disciplina de Pós-Graduação “Produção e Inovação Científica” ministrada como último módulo para a formação dos alunos da Laboro. Nela, os alunos aprendem como aplicar conceitos e ferramentas de forma assertiva e criativa para fomentar a inovação na ciência.

 

Autora: Heloisa Bolgue. Aluna do Curso de Nutrição Clínica e Funcional

Orientadora: Profa. Ma. Bruna Almeida

 

A maca peruana, uma fruta pertencente à família das crucíferas, apresenta 350 gêneros e mais de 2500 espécies distribuídas pelo mundo (ALVES, D.; SILVA,2003).

A Lepidium meyenii Walp é encontrada na américa latina e principalmente no Peru (ALVES, D.; SILVA,2003).

A maca vem sendo consumida há muitos anos já pelas suas propriedades nutritivas, terapêuticas e energizantes (CREMA, 2017). Ela aumenta a energia para as atividades cotidianas (CAVALCANTI, 2014). Estudos mais recentes abordam outros benefícios da maca para a saúde, como tratamento para fertilidade, menopausa e sintomas de reumatismo e potencializador sexual (BRASIL, Ministério da Saúde, 2008).

Nesse presente trabalho a principal intenção da inserção desse produto nas bebidas energéticas concentra-se nos componentes químicos como potencializador do desempenho sexual, capacidade antioxidante, poder anti-inflamatório e a capacidade dela aumentar a energia para realizar as nossas atividades diárias (VALENZUELA-ESTRADA, 2014).

Existem vários estudos mostrando esse poder terapêutico do fruto. Estudos atribuem esse poder de aumento de energia devido a presença de compostos como os hidratos de carbono, oligossacarídeos, polissacarídeos, glucosinolatos, alcaloides, sacarose e glucose (CAVALCANTI, 2014).

Na raiz da fruta existe aproximadamente 18 aminoácidos. Entre eles, 7 s se destacam como aminoácidos essenciais e aparecem em mais quantidade do que o presente em batatas e cenouras. Também tem a presença de ácidos graxos insaturados, como o linoleico e oleico e também são encontrados os minerais: cálcio, fósforo e ferro (CREMA, 2017).

Os fitoesteróis isolados encontrados na maca são compostos bioativo presentes em vários vegetais. Nela são encontrados, em abundância, o beta-sitosterol, campesterol e estigmasterol (DEBERT, 2012). Os benefícios desses esteróis encontrados na maca mostram ação redutora de colesterol no plasma, prevenção de sintomas recorrentes na menopausa, promoção da fertilidade, além de propriedades anti-inflamatórias e anti-oxidantes (VALENZUELA-ESTRADA, 2014).

Algumas pesquisas mostram que a maca tem o poder de aumentar a libido sem alterar os níveis séricos de hormônios sexuais, como hormônio luteinizante, hormônios de estimulação folicular, prolactina, testosterona e estradiol, isso graças a relação que existe de glucosinolatos e receptores de andróginos que contem no extrato da maca (Universidade Estadual De Campinas Faculdade De Ciências Médicas, 2018).

O climatério é um período de transição entre as fases reprodutiva e não reprodutiva da mulher. É um fenômeno endócrino, caracterizado pelo hipoestrogenismo progressivo, em decorrência do esgotamento dos folículos ovarianos, acontece nas mulheres de meia idade (GONZALES, 2001).

A menopausa, um marco do período climatérico, é definida como a última menstruação, identificada retrospectivamente após 12 meses de amenorreia. As mulheres passam cerca de um terço da vida em um estado de carência hormonal. Durante toda a vida e principalmente no climatério, as mulheres passam por mudanças físicas, hormonais e psicossociais simultaneamente (GONZALES, 2001).

Existe uma tendência aumentada nessa fase para o aparecimento de doenças crônicas associadas ao envelhecimento (SIFUENTES, 2015). Nas mudanças hormonais os sintomas estão relacionados com o declínio da função folicular ovariana, com flutuações hormonais e consequentemente instabilidade vasomotora (GONZALES; Rev Peru Med Exp Salud Publica. 2014). Podem ocorrer com frequência por consequência dessa transição sintomas como ondas de calor, ressecamento da mucosa vaginal, dificuldades de excitação e distúrbios do sono (ROMERO, 2016).

Analisar a saúde da mulher no período do climatério e conhecer como ela própria percebe suas condições de saúde são medidas fundamentais para adotar medidas preventivas e de promover a saúde, permitindo uma melhor qualidade de vida nessa fase da vida das mulheres (Rev. Saúde Pública 2003).

A auto percepção é considerada um indicador útil e uma ferramenta pratica para inquéritos de saúde populacionais (PEDRO AO, 2003).

A qualidade do envelhecimento feminino no Brasil tem sido comprometida pelas desigualdades e desvantagens que as mulheres são expostas ao longo da vida tanto no ambiente familiar como nos profissionais (SILVA, 2018). A dupla jornada de trabalho e a diferença salarial dessas mulheres podem aumentar ainda mais as dificuldades com que se deparam no ambiente social e de saúde ao longo do envelhecimento (Universidade Estadual De Campinas Faculdade De Ciências Médicas, 2018).

Desse modo, evidencia-se a necessidade por uma atenção maior à saúde dessas mulheres, pesquisando quais são suas demandas e necessidades, relacionando com o climatério e suas implicações para a sexualidade feminina (Rev Saude Publica 2003).

A sexualidade está presente em todas as etapas da vida feminina e ela é reelaborada a cada mudança que é atravessada, sob as influencias da vivencia da mulher no contexto social, cultural, econômico, religioso, educacional e psicológico de cada indivíduo (SILVA, 2018). Existem os atributos biológicos e subjetivos para representar a sexualidade feminina, sendo individualizado para cada etapa da vida e a sexualidade não está limitada apenas as relações sexuais, mas também envolve gestos, atitudes, comportamentos, predisposições e interações (AS; 2012). A sexualidade é uma experiencia individual, porém é inserida em contextos sociais específicos e coletivos (Universidade Estadual De Campinas Faculdade De Ciências Médicas, 2018).

Vale salientar que a população feminina apresenta mais comprometimento no envelhecimento quando comparada com a vida sexual dos homens, por isso fica evidente que é necessário mais cuidados com a saúde da mulher nesse aspecto (Rev. Soc. Quím. Peru , Lima, janeiro de 2016).

A maca peruana em bebidas energéticas, além de ser um produto inovador, pode promover a melhora na qualidade de vida da população, principalmente a feminina.

Se você se interessou por esta área se especialize, saiba mais sobre o Curso de Nutrição Clínica e Funcional aqui.

 

Referências bibliográficas

ALVES, D.; SILVA, C. Fito-hormônios: abordagem natural da terapia hormonal. São Paulo: Atheneu, 2003. 105p.

Barreto, M., & Heloani, R. (2011). Sexualidade e envelhecimento. In B. Trench & T. E. C. Rosa (Orgs.). Nós e o outro: envelhecimento, reflexões, práticas e pesquisa (pp. 77-95). São Paulo, SP: Instituto de Saúde.

Brasil. (2008). Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Manual de atenção à mulher no climatério/ menopausa. Brasília, DF: Secretaria de Atenção à Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Manual de Atenção à Mulher no Climatério/Menopausa. Brasília: Editora do Ministério da Saúde; 2008.

Cavalcanti, I. F., Farias, P. N., Ithamar, L., Silva, V. M., & Lemos, A. (2014). Função sexual e fatores associados à disfunção sexual em mulheres no climatério. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, 36(11), 497-502.

Crema, I. L.; De Tilio, R.; Campos, M. T. A. (2017). Repercussões da Menopausa para a Sexualidade de Idosas. Psicologia: Ciência e Profissão Jul/Set. 2017 v. 37 n°3, 753-769. https://doi.org/ 10.1590/1982-3703003422016.

Conhecimento Sobre a Menopausa de Acordo Com Mulheres Brasileiras De Meia-Idade: Um Estudo De Base Populacional, Isabel Cristina Gardenal De Arruda Amaral. Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Tocoginecologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas como parte dos requisitos exigidos para a obtenção do Título de Doutora em Ciências da Saúde, área de concentração em Fisiopatologia Ginecológica, Universidade Estadual De Campinas Faculdade De Ciências Médicas, 2018.

Debert, G., & Brigeiro, M. (2012). Fronteiras de gênero e a sexualidade na velhice. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 27(80), 37-54.

Efecto de la maca roja (lepidium meyenii) sobre los niveles de ifn-γ en ratas ovariectomizadas johanna Leiva-Revilla,Félix Guerra-Castañon, Paola Olcese-Mori, Iván Lozada, Julio Rubio, Carla Gonzales, Gustavo F. Gonzales. Rev Peru Med Exp Salud Publica. 2014; 31(4):683-88

Efecto de la maca peruana (Lepidium meyenii) y de la melatonina sobre el desarrollo testicular del ratón expuesto a hipoxia hipobárica continua. Valenzuela-estrada, m.; parra, r.; velasco-martín, j. p.; núñez, h.; regadera, j. & bustos-obregón, e.  Int. J. Morphol, 2014.

Fatores associados à autopercepção negativa de saúde em mulheres climatéricas Vitor Hipólito Silva 1 Josiane Santos Brant Rocha 1 Antonio Prates Caldeira.

Gonzales GF, Ruiz A, Gonzales C, Villegas L, Cordova A. Effect of Lepidium meyenii (maca) roots on spermatogenesis of male rats. Asian J Androl. 2001 Sep.

Gonzales GF, Villaorduña L, Gasco M, Rubio J, Gonzales C. Maca (Lepidium meyenii Walp), una revisión sobre sus propiedades biológicas. Rev Peru Med Exp Salud Publica. 2014;31(1):100-10.

Pedro AO, Pinto-Neto AA, Costa-Paiva LHS, Osis MJD, Hardy EE. Síndrome do climatério: inquérito populacional domiciliar em Campinas, SP. Rev Saude Publica 2003.

ROMERO, Violeta et al. Propriedades energéticas da farinha de maca (Lepidium peruvianum Chacón ou Lepidium meyenii Walpers). Rev. Soc. Quím. Peru , Lima, v. 82, n. 1, p. 38-48, janeiro de 2016. Disponível em <http://www.scielo.org.pe/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1810-634X2016000100005&lng=es&nrm=iso>. Acessado em 20 de abril 2019

Representações sociais da vida sexual de mulheres no climatério atendidas em serviços públicos de saúde. Texto Contexto Enfermagem, 22(1), 114-122.

SILVA, Vitor Hipólito; ROCHA, Josiane Santos Brant; CALDEIRA, Antonio Prates. Fatores associados à autopercepção negativa de saúde em mulheres climatéricas. Ciênc. saúde coletiva,  Rio de Janeiro ,  v. 23, n. 5, p. 1611-1620,  May  2018.

Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232018000501611&lng=en&nrm=iso. Acessado em 20 de abril de 2019.  http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018235.17112016.

SA, Ivone Manzali de. “Fito-hormônios”: ciência e natureza no tratamento do climatério. Physis , Rio de Janeiro, v. 22, n. 4, p. 1503-1522, 2012. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312012000400013&lng=en&nrm=iso>. acesso em 20 de abril de 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312012000400013.

SIFUENTES-PENAGOS, Gabriel; LEON-VASQUEZ, Susan; PAUCAR-MENACHO, Luz María. Estudo da Maca (Lepidium meyenii Walp.): Cultura andina com propriedades terapêuticas. Scientia Agropecuaria , Trujillo, v. 6, n. 2, p. 131-140, abr. 2015 Disponível em <http://www.scielo.org.pe/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2077-99172015000200007&lng=en&nrm=iso>. Acessado em 20 de abril 2019. http://dx.doi.org/10.17268/sci.agropecu.2015.02.06.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ranking 7 melhores cursos EAD em 2021!

A educação a distância ganhou grande destaque durante a pandemia de Covid-19 no ensino escolar brasileiro, mas a modalidade já era conhecida no ensino superior,