Inovações Tecnológicas como auxiliadores no processo da busca pela prática de Atividade Física

A sociedade atual vive emergida em inovações tecnológicas, esta que influencia o desenvolver de qualquer atividade do quotidiano das pessoas, cabe aos profissionais se adequar a essa realidade. No campo da Educação Física, as inovações tecnológicas podem assim serem auxiliadoras no processo de busca pela prática de atividade física.

Este texto é fruto da disciplina de Pós-Graduação “Produção e Inovação Científica” ministrada como último módulo para a formação dos alunos da Laboro. Nela, os alunos aprendem como aplicar conceitos e ferramentas de forma assertiva e criativa para fomentar a inovação na ciência.

Autor: Marcos André Barbosa dos Santos , aluno do curso de Fisiologia do Exercício, Biomecânica e Personal Trainer

Orientadora: Profa. Ma. Bruna Almeida

A sociedade atual vive imersa em inovações tecnológicas, o desenvolver da sociedade fez com que as tecnologias fossem se tornando cada vez mais presentes e/ou necessárias para muitas atividades do quotidiano. Estão presentes em atividades desde as mais simples, as mais complexas, nas sociedades mais remotas, as mais desenvolvidas.

Com a chamada “’Revolução Tecnológica”  fez-se surgir uma certa facilidade e acessibilidade em atividades que outrora pareciam ser distantes ou difíceis de serem executadas e isso abrangeu diferentes áreas da sociedade, uma das áreas que foram beneficiadas com isso foi a da saúde, muitos procedimentos e monitoramentos ajudam na prevenção, cuidado e promoção em saúde no mundo moderno tecnológico.

Mas, é preciso atenta-se para o fato de que em alguns casos a tecnologia pode se tornar meio de comodismo e isso ao invés de evoluir, retrocede, um exemplo está ligado as práticas de atividades físicas.

Sobre isto Marques (2017, p.143) afirma que:

Embora exista certa colaboração da tecnologia para melhorias na prática de atividade física, a adoção de hábitos ativos ao estilo de vida não é necessariamente motivada por tais produtos. É fácil notar um estímulo provocado por avanços tecnológicos sobre a inatividade física, não podendo afirmar integralmente o contrário.

Destarte, na atual conjuntura em que vivemos não se pode negar o fato da presença da tecnologia e sua grande influência na vida das pessoas, e o quanto as inovações tecnológicas podem ser auxiliadoras no processo de busca pela prática de atividade física.

Temos hoje aparelhos eletrônicos, aplicativos, redes sociais, dentre tantas outras ferramentas que se apresentam como impulsionadoras no processo de uma boa qualidade de vida e prática de exercícios físicos, isso se dá também pelo fato de que as pessoas se tornaram mais sedentárias neste século em consequência da comodidade que as tecnologias lhes apresentam.

É preciso que o profissional se atente aos públicos já sedentários e a esses buscar, em seu quotidiano e estilo de vida, adequar por meio dos meios tecnológicos uma forma de atividade física.

Marques (2017) apresenta que se adequar as novas tecnologias é um desafio, mas sem dúvidas é extremamente necessário, e cabe ao profissional de Educação Física e de saúde em geral saber utilizar de forma eficaz.

É um desafio aos profissionais de Educação Física e de saúde a promoção de um equilíbrio entre o consumo passivo (espectador) e a prática ativa de atividade física. Com o crescimento do desenvolvimento tecnológico, a cada dia será mais necessária a divulgação e promoção de incentivos e possibilidades para a prática de atividade física, visando a combater o sedentarismo e colaborar, mesmo que parcialmente, com um dos aspectos influenciadores da Qualidade de Vida. (MARQUES,2017, p.148)

Uma grande ferramenta para tal feito seria um aplicativo de monitoramento 24h, que possibilitaria avaliações diárias das atividades do quotidiano do aluno para o profissional, apresentando aonde o sedentarismo mais afeta nas atividades diárias e quotidiana, ofertando ao profissional de educação física subsídios para elaborar um treino mais eficaz e eficiente.

Ademais, na sociedade em que temos é necessário que qualquer profissional se adeque as inovações tecnológicas, e aos profissionais de Educação Física não seria diferente, a eles é posto uma gama e inúmeras possibilidades que o fazem utilizar a tecnologia que muitas vezes é visto como vilão, como aliado, em seu processo de garantia de qualidade de vida de seus alunos a partir da prática de atividade física.

Se você se interessou por esta área se especialize, saiba mais sobre nossos cursos de Pós-Graduação na área de Fisiologia do Exercício, Biomecânica e Personal Trainer clicando AQUI

REFERÊNCIAS

MARQUES, Renato Francisco Rodrigues , Influência da Tecnologia sobre a Prática Cotidiana de Atividade Física, MESTRANDO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FEF-UNICAMP. 2017.

GONÇALVES,  a. E Vilarta, R. (ORGS.). Qualidade de Vida e Atividade Física: explorando teorias e práticas. BARUERI, MANOLE, 2004.

NAHAS, m. Vincent. Atividade física, saúde e qualidade de vida: Conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. 2a ed. Londrina: Midiograf, 2001.

2 Comments:
novembro 14, 2019

Muito interessante e excelente texto.

novembro 14, 2019

Oi, Josefa estamos felizes que se interessou pelo texto, pois este é um espaço para troca de conhecimento. O nosso objetivo é contribuir para que informações inovadoras cheguem de forma rápida e acessível a todos. Continue nos visitando estamos sempre atualizando nossos conteúdos. =)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ranking 7 melhores cursos EAD em 2021!

A educação a distância ganhou grande destaque durante a pandemia de Covid-19 no ensino escolar brasileiro, mas a modalidade já era conhecida no ensino superior,