Faculdade Laboro lança a Labotech, primeira empresa júnior da instituição

Foi fundada nesta quarta-feira, dia 12, em São Luís, a empresa júnior da Faculdade Laboro: Labotech. Podem participar da empresa júnior, como colaboradores, alunos dos cursos técnicos, graduação e pós-graduação de qualquer período, visto que ela é multidisciplinar. Mas apenas alunos dos cursos de graduação em Redes de Computadores e Gestão Hospitalar podem fazer parte da diretoria.

Durante o evento foi aprovado o estatuto e feita a eleição da primeira diretoria: Valdilan Nunes (presidente); Márcio Cardoso (vice-presidente), Müller Espósito (diretor de Tecnologia), Thyago Ramos (diretor de Projetos de Gestão), Bárbara Escócia (diretor de Marketing), Mário Silva Júnior (diretor de Talentos), Augusto Marques (diretor de Qualidade), Anderfran Prazeres (Diretor de Mercadologia), Márcio Rosa (diretor de Finanças) e Jonas Pereira (diretor Administrativo).

“A Labotech surgiu de uma necessidade dos alunos em terem um campo de prática e a Faculdade Laboro sempre incentivou essa iniciativa. Sou feliz por ter feito parte de uma empresa júnior e saber o qual é importante dela para a formação profissional”, diz a coordenadora da Faculdade Laboro, Adriana Flexa.

“A Labotech surgiu de uma necessidade dos alunos ampliarem seu campo de prática e a Faculdade Laboro reconheceu a importância dessa iniciativa desde o início. Aprendi muito, quando universitária, atuando em uma empresa júnior e sei bem o diferencial que isso traz na formação profissional. Aprendemos na prática mesmo, executando tarefas e realizado trabalhos como profissionais, sob a supervisão de um professor, o que dá toda a segurança que precisamos, posteriormente, ao atuarmos sozinhos”, diz a coordenadora da Faculdade Laboro, Adriana Flexa.

Para a diretora da Faculdade Laboro, Mônica Gama, a instituição está dando um grande passo ao estimular e apoiar estudantes e professores na configuração da Labotech.

“Através da empresa júnior os alunos prestam serviços às empresas para desenvolvimento de projetos em sua área de formação técnica. Costumo destacar que isso implica em nosso aluno ‘entrar pela porta da frente no mercado de trabalho’, pois, a partir da Labotech, ele atenderá a demandas específicas das empresas apresentando serviços diferenciados. Todos ganham: o aluno ganha experiência e oportunidade de inserção como profissional qualificado e o mercado local ganha produtos de qualidade a preços acessíveis”, afirma a diretora. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como se aprende a Ensinar

Como se Aprende a Ensinar?

  Para se refletir sobre “Como se aprende a ensinar” é necessário perguntar se “ensinar é o mesmo que ser professor?”. Como se sabe a