Exercício Isométrico e o Efeito Hipotensor em Idosos Hipertensos Medicados

Este texto é fruto da disciplina de Pós-Graduação “Produção e Inovação Científica” ministrada como último módulo para a formação dos alunos da Laboro. Nela, os alunos aprendem como aplicar conceitos e ferramentas de forma assertiva e criativa para fomentar a inovação na ciência.

Autores: Fernando Zampollo Pereira; Caroline Daronch Turra- Alunos do Curso Fisiologia do Exercício

Orientadora: Profª Ma. Bruna Almeida

Dados do Ministério da Saúde mostram que no Brasil 63,2% das pessoas com idade igual ou superior a 65 anos sofrem de hipertensão arterial. Essa pesquisa mostra um crescimento da população autodeclarada doente em todas as faixas etária entre 2006 e 2009 (IBGE, 2010). A pesquisa mostra que as mulheres são mais afetadas pelo problema que os homens, sendo que da população total, 27,2% das mulheres disseram ter a doença, e entre os homens o índice ficou em 21,2% (MENDES et al., 2014). A hipertensão arterial é causada pelo aumento da contração na parede das artérias, gerando sobrecarga em vários órgãos, como coração, rins e cérebro, podendo levar a obstrução de artérias, infarto agudo do miocárdio ou acidente vascular encefálico (CHOBANIAN, et al., 2003; VII DBHA, 2016).

Estudos tem demonstrado que o exercício físico pode ser uma adjuvante na prevenção e tratamento da hipertensão arterial. A maior parte das pesquisas realizados com idosos envolvia principalmente exercícios aeróbios, como esteira, ciclo ergômetro, hidroginástica entre outros, por haver indícios de que o treinamento de força aumenta a pressão arterial, no entanto as mais recentes apresentam o exercício de força dinâmico, como rosca bíceps, leg press e outros, um potente estimulador no ganho de força e massa muscular nos idosos, além de reduzir consideravelmente os valores pressóricos de sístoles e diástoles dos pacientes hipertensos, pois ajudam também na regulação dos níveis de hormônios vasodilatadores. (MORAES et al., 2012).  Nos últimos anos o exercício de força estático (isométrico) com intensidade leve a moderada se mostrou um bom modelo para reduzir a pressão arterial elevada, em adultos e idosos. Uma das vantagens deste tipo de exercício físico é a possibilidade de usar equipamentos portáteis como um dinamômetro de preensão palmar. (OLHER et al., 2013) Por ser um equipamento portátil, o avaliador/profissional poderá desenvolver esse tipo de treino, em qualquer lugar. O dinamômetro determina a mensuração de força executada pelo avaliado o que permite o avaliador estimular a intensidade em que o individuo avaliado devera executar o treino estático. Neste mesmo estudo, OLHER et al, 2013, mostra que em uma única sessão de treino de intensidade moderada pode induz a hipotensão por cerca de uma hora após o exercício, possibilitando que os níveis pressóricos venham diminuindo com o passar de rotinas diárias de treino.

 

REFERÊNCIAS

CHOBANIAN, A. V.; BAKRIS, G. L.; BLACK, H. R.; CUSHMAN, W. C.; GREEN, L. A.; IZZO JR, J. L.; JONES, D. W.; MATERSON, B. J.; OPARIL, S.; WRIGHT JR, J. T.; ROCCELLA, E. J. Seventh Report of the Joint National Committee on Prevention, Detection, Evaluation, and Treatment of High Blood Pressure. Hypertension. v. 42, p. 1206-1252, 2003.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo demográfico 2010: características da população e dos domicílios. Rio de Janeiro: 2011. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/93/cd_2010_caracteristicas_populacao_domicilios.pdf. Aceso 20 de março 2019.

MENDES, G.S.; MORAES, C.F.; GOMES, L. Prevalência de hipertensão arterial sistêmica em idosos no Brasil entre 2006 e 2010. Rev Bras Med Fam Comunidade. Rio de Janeiro, 2014 Jul-Set; 9(32):273-278.

MORAES, M. R.; BACURAU, R. F.; SIMÕES, H. G.; CAMPBELL, C. S.; PUDO, M. A.; WASINSKI, F.; PESQUERO, J. B.; WÜRTELE, M.; ARAUJO, R. C. Effect of 12 weeks of resistance exercise on post-exercise hypotension in stage 1 hypertensive individuals. Journal of Human Hypertension, v. 26, n. 9, p. 533-9, 2012a.

OLHER, R. R. V.; BOCALINI, D. S.; BACURAU, R. F.; RODRIGUEZ, D.; FIGUEIRA JUNIOR, A.; PONTES JUNIOR, F. L.; NAVARRO, F.; SIMÕES, H. G.; ARAUJO, R. C.; MORAES, M. R. Isometric handgrip does not elicit cardiovascular overload or post-exercise hypotension in hypertensive older women. Clinical Interventions in Aging, v. 8, p. 649-655, 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *