Estratégias financeiras para criação e desenvolvimento de novos negócios

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Para implementação de um novo negócio no mercado, as finanças são recursos fundamentais, por isso, as atividades financeiras devem ser executadas por meios de planejamento e estratégias que visam as melhores formas de capitalização, aplicação e desenvolvimentos dos recursos financeiros.

Este texto é fruto da disciplina de Pós-Graduação “Produção e Inovação Científica” ministrada como último módulo para a formação dos alunos da Laboro. Nela, os alunos aprendem como aplicar conceitos e ferramentas de forma assertiva e criativa para fomentar a inovação na ciência.

Autor: Higor Silva – Aluno do MBA em Auditoria, Controladoria e Gestão Financeira.

Muitas pessoas buscam meios para se tornarem empreendedores, e por seguinte se manter ativamente no mercado empresarial, porém, segundo IBGE cerca de 70% das empresas abertas no Brasil não duram 5 anos, um número lamentável, tendo em vista que novos negócios geram desenvolvimento econômico em vários âmbitos. As finanças são determinantes para inserção e desenvolvimento de um negócio juntamente com outras áreas, se tornando um divisor entre o falecimento e crescimento empresarial.

Para o sucesso de qualquer negócio, o empreendedor deve elaborar um pequeno projeto que lhe sirva de guia e oriente seu processo decisório para identificar e potencializar as oportunidades de mercado, reconhecer e neutralizar as ameaças, e descobrir ou criar um valor para o cliente. (CHIAVENATO, 2012). No projeto inicial de uma empresa deve ser definido alguns fatores, como produto/serviço, clientes, parceiros de negócios, atividades laborais, materiais necessários, localidade, entre outros pontos. Referente a isso deve ser definido um investimento inicial, em que determina um capital mínimo e adequado para o início do negócio, no qual esse capital pode ser fundamentado pelo que foi estabelecido no projeto inicial, visto que para ter uma aplicação eficiente e rentável dos recursos financeiros é necessário tê-los à disposição.

Quando se têm os recursos a disposição, o início e administração do negócio fica mais fácil, porém, muitos potenciais empreendedores não obtêm os recursos financeiros necessários, por isso, devem buscar formas para captação de finanças. O capital de terceiros é uma das formas de captação para iniciar o negócio, através de empréstimos, financiamentos, debêntures e ações preferenciais. (CHIAVENATO, 2012). Acionista, bancos, fornecedores e financeiras entram como capital de terceiros, disponibilizando recursos para início e desenvolvimento de um negócio, mas, todos esperam retornos, por isso deve-se analisar as situações e definir as melhore estratégias, por exemplo, em optar por um empréstimo verificar as taxas de juros, números de parcelas e melhor sistema de amortização, aos acionistas disponibilizar um risco razoável para torna esse investimento atrativo. Lembrando que a captação de recursos de terceiros geralmente corresponde a aquisição de dívidas, por essa razão, deve-se organizar as finanças.

O objetivo da captação financeira é obter recursos para serem aplicados na empresa e gerar o seu desenvolvimento. Para essa aplicação, necessita verificar quais as potencialidades e os riscos dos negócios, analisando três condições ou situações, sendo essas, a incerteza, risco e certeza. A primeira consiste na falta de conhecimento ou informações que possa basear-se para tomadas de decisões e determinadas eventos que venham a ocorrer. Nas situações de risco, se obtêm informações para tomada de decisão, porém, existem diferentes interpretações, levando em consideração fatores como opinião, experiência, crença, intuição etc., por isso deve-se analisar o risco obtido de acordo com decisão, buscando o equilíbrio entre menor risco e maior retorno. Já na certeza, o tomador de decisão tem total conhecimento sobre o evento, então, avalia as possibilidades e escolhe a melhor ação para o momento.

Analisar as possibilidades e risco do negócio é uma estratégia fundamental para aplicação do recurso financeiro, definindo em qual área ou momento o dinheiro deve ser utilizado, estabelece se é necessário efetuar uma reserva financeiro para eventos futuros incertos, defini a possibilidade de investimentos assertivos, de forma geral, gera informações que vão auxiliar a utilização das finanças, tanto para manter o negócio perante as riscos econômicos e financeiros, quanto para manter constante desenvolvimento, atingindo novas possibilidade e mercados, como consequência gerando mais lucros.

É profissional de Administração em busca de conhecimento?

Clique aqui e conheça as pós-graduações na área da ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS

Se torne um especialista de Excelência.

Garanta já sua vaga!

REFERÊNCIAS

CHIAVENATO. I. Empreendedorismo: Dando asas ao espírito empreendedor. São Paulo: Ed. Manole, 2012.

CHIEVENATO. I. Administração nos Novos Tempos. Rio de Janeiro: Ed. Elsevier, 2005.FRANÇA. P. Captação de Recursos para Projetos e Empreendimentos. Distrito Federal: Ed. SENAC, 2005.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *