Entenda a Psicopedagogia Clínica e Institucional

Você já ouviu falar sobre a Psicopedagogia? Conhece algum Psicopedagogo? Sabe onde este profissional atua? Tem interesse nessa área?

A Laboro ajuda você a entender sobre esse campo de estudo. A psicopedagogia é uma área de conhecimento que atua nos campos Educacional e da Saúde. Seu foco está no processo de aprendizagem do indivíduo e leva em consideração, para isso, a família, a escola e o contexto sócio-histórico no qual encontra-se inserido. Este profissional contribui para manter o estado psicológico saudável do paciente.  Permiti assim, a construção de saberes ao ponto de transformar informações em conhecimento adquirido. Promove, em grupo ou individualmente, o crescimento intelectual do sujeito, seja criança, adolescente, adulto ou idoso, com a intenção de aprimorar o seu desempenho COGNITIVO.

Faz parte da atuação do psicopedagogo desenvolver ações para gerar mudanças comportamentais no paciente que facilite a compreensão de conceitos e situações. Assim, este profissional atende aquele que APRENDE, independente da fase em que se encontra. Entre suas competências estão a capacidade de planejar, intervir e avaliar o processo de aprendizagem, nos variados contextos, utilizando métodos e técnicas próprios e que tenham por finalidade gerar conhecimento em sua área.

Como o objeto de estudo do psicopedagogo é o desempenho cognitivo intelectual do sujeito é ele quem identifica e intervém nas falhas do seu comportamento por causas genéticas ou doenças pré-instaladas, como o Transtorno do Espectro Autista (TEA), Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). Além de psicoses e suas causas no desempenho intelectual, afetivo ou adquiridas, como por exemplo, traumatismo, doenças degenerativas, entre outras.

Existem duas formas de atuação na Psicopedagogia: a Clínica e a Institucional.

O Psicopedagogo Clínico atende individualmente.  Sua função é estimular o sujeito a melhorar seu desempenho cognitivo, por meio de exercícios intelectivos. Caso necessário, durante o atendimento clínico o psicopedagogo poderá envolver, além do estudante, a família e seus professores. Ao trabalhar com o processo de aprendizagem do sujeito o profissional investiga as causas e busca soluções para esses problemas. Neste aspecto, destaca-se que a avaliação psicopedagógica pode não ser suficiente necessitando do apoio de um neuropsicólogo. O psicopedagogo clínico contribui com análise do sistema em escola, instituições de ensino ou de reabilitação e histórica educacional, além de aplicação de alguns testes psicopedagógicos.

O Psicopedagogo Institucional, por sua vez, trabalha com um grupo de pessoas, seja em instituições de ensino, empresas ou hospitais. Dependendo do local de trabalho, sua função é avaliar o comportamento de alunos, pacientes ou funcionários, identificar os fatores que interferem na aprendizagem ou desempenho dessas pessoas e oferecer soluções para a melhora nesse campo. Promove atividades de ampliação do desempenho cognitivo, podendo atendê-los tanto em grupo como individualmente. Nas escolas, instituições ou empresas ele deverá observar, identificar problemas que envolvam aprendizados e propor soluções institucionais para ampliar as possibilidades de aprendizagens.

Para você que ficou interessado nessa área, a Faculdade Laboro oferece o curso de Especialização em “Psicopedagogia: Clínica e Institucional”. Acesse o site www.laboro.edu.br e tenha mais informações.

Além disso, alunos e professores da Laboro contam com o Núcleo de Apoio e Acompanhamento Pedagógico e Psicopedagógico (NAAPP). Ele garante o atendimento individual a alunos, acompanhamento pedagógico das atividades letivas, orientação ao discente e ao docente no que precisarem de assessoria didático-pedagógica às diversas atividades desenvolvidas no âmbito dos cursos.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como se aprende a Ensinar

Como se Aprende a Ensinar?

  Para se refletir sobre “Como se aprende a ensinar” é necessário perguntar se “ensinar é o mesmo que ser professor?”. Como se sabe a