Educação Especial para a inclusão e interação foi tema do simpósio de Psicopedagogia

O curso de Educação Especial foi ministrado pela professora mestre Priscila de Sousa Barbosa, em São Luís nos dias 17 e 18 de Setembro. Onde contou com a presença de autoridades como a secretária e supervisora de educação especial do Estado Rosane Ferreira e profissionais da área de educação, psicopedagogos.
A professora mestre Priscila Barbosa, doutoranda em Ciências da Educação por uma Universidade de Lisboa realiza o acompanhamento pedagógico de alunos nas escolas públicas municipais.

Durante o curso a professora explicou o que significa ter uma deficiência, pois o significado está relacionado com o fato de ela incapacitar o individuo de acordo com a Classificação Internacional de Funcionalidade, Deficiência e Saúde determinada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A deficiência é também um conceito relativo que depende da cultura, atitudes, crenças, área de estudo e orientação.

A professora ressaltou que o objetivo da Educação Especial, de acordo com a Lei Brasileira de Inclusão é assegurar e promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais visando a sua inclusão social e cidadania.

Hoje, segundo dados da ONU, cerca de 10% da população mundial, aproximadamente 650 milhões de pessoas, vivem com uma deficiência. Dados do IBGE apontam que por volta de 6,2% da população brasileira tem algum tipo de deficiência. Ressaltou que Educação é um alicerce da vida social e que nenhuma deficiência desabilitam as pessoas para plenitude de suas realizações pessoais e sociais.

O curso é parte da Pós-graduação em Psicopedagogia: Clinica e Institucional oferecida pela Faculdade Laboro.

Como se aprende a Ensinar

Como se Aprende a Ensinar?

  Para se refletir sobre “Como se aprende a ensinar” é necessário perguntar se “ensinar é o mesmo que ser professor?”. Como se sabe a