Cuidados de Enfermagem ao Paciente Politraumatizado

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

O presente trabalho tem como objetivo identificar os principais cuidados da enfermagem à vítima politraumatizado. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica do tipo descritiva realizada nas fontes de dados Scielo e Google Acadêmico. Os cuidados de enfermagem na prevenção de lesões cutâneas, ao controle de processos dolorosos próprios do quadro clínico do paciente, na higiene e na reabilitação das funções fisiológicas da vítima.

Este texto é fruto da disciplina de Pós-Graduação “Produção e Inovação Científica” ministrada como último módulo para a formação dos alunos da Laboro. Nela, os alunos aprendem como aplicar conceitos e ferramentas de forma assertiva e criativa para fomentar a inovação na ciência.

Autora: Rayanne Azevedo – Aluna do curso de Pós-Graduação em Enfermagem em Urgência e Emergência

O trauma tem causa multifatorial sendo uma das principais agentes de morbimortalidade, que pode ocorrer em qualquer fase de vida do ser humano, constituindo-se um grande problema de saúde pública. Quando o paciente apresenta mais de um dano físico simultâneo, denomina-se traumatismo múltiplo ou paciente politraumatizado (MARTINIANO et al., 2020).

Nessas situações, o cuidado ao paciente ocorre por meio de uma equipe multiprofissional, em que os cuidados de enfermagem se tornam essenciais para evitar complicações e auxiliar na reabilitação. A enfermagem apresenta um importante papel na atendimento, recuperação e reabilitação da vítima com múltiplos traumas, pois considera-o como um ser no seu contexto biopsicossocial, não se restringindo às práticas curativistas impostas pelo modelo biomédico. Dessa forma, o presente trabalho tem como objetivo identificar os principais cuidados desenvolvidos pela enfermagem à vítima politraumatizado (PERBONI; SILVA; OLIVEIRA, 2019).

O cuidado de enfermagem é uma ferramenta essencial para a prevenção, promoção e recuperação da saúde do indivíduo politraumatizado. Grande parte dos cuidados de enfermagem voltados para a prevenção de lesões cutâneas, ao controle de processos dolorosos próprios do quadro clínico do paciente, na higiene e na reabilitação das funções fisiológicas da vítima e identificar possíveis lesões secundárias que possam provocar incapacidade total ou no desenvolvimento de atividades da vida diária (MARTINIANO et al., 2020; WILL et al., 2020; PERBONI; SILVA; OLIVEIRA, 2019).

Além disso, o enfermeiro como agente educador tem a função de realizar ações que promovam o autocuidado, a auto percepção do paciente diante do quadro clínico, orientações e ações de prevenção primária e secundária. Outro cuidado é com base no atendimento psicológico devido às consequências que o trauma pode provocar no indivíduo e nas suas relações familiares e sociais (MARTINIANO et al., 2020; WILL et al., 2020).

As atividades realizadas pelo enfermeiro ao paciente politraumatizado se faz na realização de anamnese, exame físico e aferição dos sinais vitais, nas quais podem ser realizadas de forma fragmentada, a depender do quadro clínico do paciente. No entanto, existem problemas na ordem de atendimento e inseguranças quando os pacientes apresentam traumas no Sistema Nervo Central (WILL et al., 2020).

O cuidado de enfermagem deve contemplar a vítima em todos os condicionamentos e determinantes do processo saúde e doença, em que a humanização e o atendimento holístico são de suma importância para o processo de recuperação do paciente com múltiplos traumas. A enfermagem possui atividade de administrar medicamentos e afazer possíveis reações adversas (PERBONI; SILVA; OLIVEIRA, 2019). Nesse aspecto, os profissionais de enfermagem precisam estar constantemente se atualizando para aperfeiçoar a assistência, por meio de julgamento clínico-científico, na tomada de decisão embasado por estudos que apresentam boas evidências científicas (WILL et al., 2020).

Por fim, conclui-se que os cuidados de enfermagem vão além da feição biologista, envolvendo ações que respeitam os aspectos biopsicossocial da vítima. Por fim, devido ao quadro clínico do paciente, a enfermagem tem papel fundamental em identificar sinais de dor e intervir para minimizar os quadros de algias.

É profissional da Saúde em busca de conhecimento?

Clique aqui e conheça as pós-graduações na área de ENFERMAGEM

Se torne um especialista de Excelência.

Garanta já sua vaga!

REFERÊNCIAS

MARTINIANO, E.C. et al. Cuidados de enfermagem ao paciente politraumatizado: revisão integrativa. Nursing, v. 23, n. 270, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.36489/nursing.2020v23i270p4861-4872. Acesso em 28 de abril de 2022.

PERBONI, J.S.; SILVA, R.C.; OLIVEIRA, S.G. A humanização do cuidado na emergência na perspectiva de enfermeiros: enfoque no paciente politraumatizado. Interações, v. 20, n. 3, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.20435/inter.v0i0.1949. Acesso em 28 de abril de 2022.
WILL, R.C. et al.Cuidados de enfermagem aos pacientes politraumatizados atendidos na emergência. Nursing, v. 23, n. 263, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.36489/nursing.2020v23i263p3766-3777. Acesso em 28 de abril de 2022.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *