Conferência reunirá pesquisadores de Enfermagem e Obstetrícia em Portugal

Ocorre entre os dias 21 e 25 de julho de 2014, na cidade de Coimbra, em Portugal, a X Conferência da Rede Global de Centros Colaboradores da Organização Mundial de Saúde (OMS) para Enfermagem e Obstetrícia e o IV Congresso de Investigação em Enfermagem Ibero-americano e de Países de Língua Oficial Portuguesa.

Estas reuniões são organizadas pela Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, pela Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem e pela Rede Global dos Centros Colaboradores da OMS para Enfermagem e Obstetrícia.

É a primeira vez que esta reunião da Rede Global dos Centros Colaboradores da OMS para Enfermagem e Obstetrícia é organizada em Portugal. O evento pretende promover um reforço de intercâmbio nos processos de investigação e formação em enfermagem entre os Centros Colaboradores da OMS para Enfermagem e Obstetrícia, as instituições parceiras da ESEnfC, particularmente de língua oficial portuguesa, e para os investigadores, formadores e enfermeiros de todo o mundo. 

O tema central desta conferência possibilitará a reflexão sobre os contributos da Enfermagem no desenvolvimento humano e nos objetivos de desenvolvimento do Millennium.

Por sua vez, o IV Congresso de Investigação em Enfermagem Ibero-americano e de Países de Língua Oficial Portuguesa, bienal organizada pela Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem, desde 2007, tem por objetivo o desenvolvimento de rede de centros de excelência de investigação em enfermagem e ciências afins de Ibero-América e África.

Os idiomas da conferência, nos quais se poderão apresentar as Comunicações são o Português, o Espanhol e o Inglês. A submissão de Comunicações ocorre até o dia 16 de fevereiro de 2014.

Outras informações no site http://www.who2014.com/.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação Elitizada ou Direito para todos

Compreendendo que dentro da educação existe o extremismo, que perambula por muitos ambientes e de vários contextos, o que torna imensamente complicado falar de acesso