Assistência Nutricional: Desafios em Tempos de Pandemia – Covid-19

Assistência Nutricional

A Organização Mundial da Saúde classificou o surto do novo coronavírus como pandemia em março de 2020, sendo necessário o estabelecimento de medidas preventivas com o intuito de evitar a propagação da Covid-19. Desse modo, o Conselho Federal de Nutricionistas (CFN) autorizou através da resolução Nº 646 à modalidade de assistência nutricional online, o que resultou em novos desafios para o nutricionista.

Este texto é fruto da disciplina de Pós-Graduação “Produção e Inovação Científica” ministrada como último módulo para a formação dos alunos da Laboro. Nela, os alunos aprendem como aplicar conceitos e ferramentas de forma assertiva e criativa para fomentar a inovação na ciência.

Autora: Tainara Pereira de Araújo, aluna da Pós Graduação em Nutrição Clínica e Funcional, da unidade Palmas-TO, da Faculdade Laboro.

Atualmente o mundo vive uma crise emergencial em virtude do novo coronavírus, o que requer medidas de enfrentamento da pandemia da Covid-19. E como medida de enfrentamento o Ministério da Saúde reconheceu ética a utilização da telemedicina e o CFN determinou através da Resolução CFN nº 646, de 18 de março de 2020, prorrogada até 28 de fevereiro de 2021 a assistência nutricional por meio não presencial facultativa aos profissionais, com o intuito de garantir a continuidade da assistência nutricional durante o isolamento social exigido como medida preventiva a disseminação da Covid-19 (BRASPEN, 2020).

Desse modo, a modalidade não presencial, não vivenciada antes pelos profissionais nutricionistas, resultou em novos desafios para a atuação profissional. E o CFN publicou um Guia de Boas práticas para Nutricionistas e TND durante pandemia com orientações de como proceder com o atendimento nutricional à distância (CFN, 2020), com o intuito de auxiliar o profissional nessa nova realidade.

Ficando o nutricionista apto a dar continuidade ao acompanhamento de pacientes que já faziam parte do seu quadro de atendimentos, e também atender novos clientes que necessitem de atendimento nutricional (CRN-3, 2020). E diante deste contexto surge o seguinte questionamento: como ganhar a confiança do paciente durante o atendimento online?

De acordo com Costa et al. (2020) a assistência nutricional não presencial em tempos de pandemia apresenta desafios e limitações, os quais devem ser reconhecidos e enfrentados devido à ausência da avaliação e do contato físico com os pacientes.

Sendo necessário que o profissional tenha domínio da ferramenta que utilizará para a realização do teleatendimento, oferecendo qualidade assim como na modalidade presencial, e conter as fases de avaliação e diagnóstico nutricional, intervenção dietética, orientação, acompanhamento do paciente, e avaliação dos resultados (CRN-3, 2020; COSTA et al. (2020).

Portanto, é importante que o profissional disponha de internet de qualidade, esteja em local fechado e demonstre para o paciente, de modo que o cliente sinta confiança em repassar informações, além de orientá-lo a está em local que não ofereça distrações.

Além das medidas antropométricas de peso auto referenciado, altura auto referenciada, circunferências, fotos corporais enviadas pelo próprio paciente, já preconizadas pelos CRNs/CFN para adultos, o nutricionista deve está disposto a orientar/demonstrar como realizar as medidas antropométricas.

Sugere-se que como forma de otimizar o tempo de consulta, que o profissional faça uso de questionário pré-consulta enviado um ou dois dias antes para o paciente, que aborde perguntas básicas como objetivo nutricional, patologias, uso de medicamento, trabalho e outros, como forma de possibilitar melhor abordagem nutricional. Outra forma de aperfeiçoar o tempo de consulta é que durante o atendimento o profissional faça uso de aplicativos de criação de conteúdo interativo em tempo real, que aborde as informações do questionário pré-consulta como forma de evitar dispersão e obter boa adesão às condutas sugeridas, além de oferecer suporte pós consulta.

Em virtude do que foi mencionado, há a necessidade de uma assistência nutricional que envolva o paciente possibilitando adesão à conduta nutricional, visto que a assistência nutricional não deve ser interrompida, e o nutricionista deve adaptar-se com prontuários eletrônicos e ferramentas online, com o objetivo de garantir a promoção da saúde aos pacientes.

Se você se interessou por esta área,
saiba mais sobre a
Pós Graduação em Nutrição Clínica e Funcional

REFERÊNCIAS

BRASPEN. Atendimento nutricional On-line Durante a Pandemia de COVID-19. Manual BRASPEN de Teleconsulta. Disponível em: https://www.braspen.org/post/manual-braspen-de-teleconsulta. Acesso em 02 de fevereiro de 2021.

CONSELHOS FEDERAL E REGIONAIS DE NUTRICIONISTAS. Boas práticas para a atuação do nutricionista e do técnico em nutrição e dietética durante a pandemia do Novo Coronavírus (Covid-19). Brasília: 2020. Disponível em: https://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/2020/03/nota_coronavirus_3-1.pdf. Acesso em 02 de fevereiro de 2021.

CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS – 3a REGIÃO. Assistência, avaliação e diagnóstico nutricional não presencial durante a pandemia do novo coronavírus. Disponível em: http://www.crn3.org.br/uploads/BaseArquivos/2020_05_07/CartilhaDigital_Etica20_final.pdf. Acesso em 02 de fevereiro de 2021.

COSTA, L. S. et al. Assistência nutricional em tempos de pandemia: relato de experiência de nutricionistas residentes multiprofissionais. Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n.12, p.94078-94086, 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/20886. Acesso em 02 de fevereiro de 2021.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *