Administração Segura de Medicação no Paciente: Cartazes que Salvam Vidas

Ao longo dos anos muito se discutiu sobre a importância de falar a respeito da segurança do paciente internado e a administração segura da prescrição, no uso e na administração de medicamentos. Propus uma ação simples e de baixo custo nas ações de administração segura de medicações através de cartazes lúdicos na sala de preparo de medicações.

Este texto é fruto da disciplina de Pós-Graduação “Produção e Inovação Científica” ministrada como último módulo para a formação dos alunos da Laboro. Nela, os alunos aprendem como aplicar conceitos e ferramentas de forma assertiva e criativa para fomentar a inovação na ciência.

Autora: Mariana Mesquita aluna da Pós em Cuidados Intensivos em Enfermagem

Orientadora: Profa. Ma. Bruna Almeida

Durante anos discutiu-se a importância de falar sobre a segurança do paciente no âmbito hospitalar, visto que, erros cometidos pelos profissionais ali inseridos, em especial a equipe de enfermagem levam pacientes a risco de morbimortalidade, portanto assim foi criado o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP), instituído pela Portaria GM/MS n° 529/2013, esta discorrendo a respeito da contribuição para qualidade do cuidado em todos os estabelecimentos de saúde em se tratando do território brasileiro.

A administração segura da prescrição, no uso e na administração de medicamentos no âmbito hospitalar deve ser amplamente falada, pois é uma das seis atribuições para a qualidade do serviço que irá ser prestado pela equipe de enfermagem.

De acordo com a Organização Mundial em Saúde (OMS) os incidentes e eventos adversos no cuidado com danos permanentes ao paciente, representam um crescente número no aumento das taxas de morbidade e mortalidade dentro das instituições de saúde, o que torna o tema de suma relevância nas mesas de debate para melhoria da assistência prestada por toda equipe, ainda que o erro seja algo inerente ao ser humano e que todos nós somos criaturas passíveis de erros, a cultura de ação e prevenção deve ser sempre amplamente reforçada e passada adiante.

Segundo o Ministério da Saúde (MS) ações como planejar; orientar; coordenar; supervisionar; e avaliar o processo de implementação do Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP) no país serve para coibir ou diminuir os erros a que os pacientes estão suscetíveis dentro do sistema hospitalar.

As falhas podem estar ligadas também a um sistema falho de informações e a massificação e mecanização dos treinamentos oferecidos às equipes de saúde Brasil a fora, por este motivo propus assim uma ação simples e de baixo custo nas ações de administração segura de medicações no sistema hospitalar, utilizando cartazes informativos e lúdicos sobre dose certa, hora certa e paciente certo na sala de preparo de medicação, cartazes estes que ficarão a vista de toda equipe, funcionando como mecanismo de lembrete e prevenção de falhas que possam vir acontecer durante a escolha da medicação, preparação, diluição das mesmas, até chegar ao paciente.

Estar aberto a ideias da equipe também fortalece o trabalho em conjunto, o que também implicará em uma assistência mais segura para todos, seja a equipe ou o paciente que receberá a medicação administrada por qualquer membro. A disposição do material em gavetas e armários devidamente identificados também colabora muito para que os erros sejam evitados, mas para isso, não se deve jamais excluir a conferência do material escolhido, verificando data de validade e nome da medicação escolhida, nem tampouco excluir a ideia de que na equipe ainda haverá profissionais que demoram ou não querem adaptar-se a mudanças, com estes deve-se intensificar os treinamentos e a comprovação de que métodos simples também podem contribuir para uma ambiente mais seguro para todos.

REFERÊNCIAS

SEGURANÇA DO PACIENTE: Sobre o Programa. Disponível em: <https://www.saude.gov.br/acoes-e-programas/programa-nacional-de-seguranca-do-paciente-pnsp>

GUARANÁ, Carlos Vinicius Pacheco dos Santos; et al.. Avaliação da Competência de Estudantes de Medicina em Identificar Riscos à Segurança do Paciente através de Simulação. 2019. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbem/v43n1s1/1981-5271-rbem-43-1-s1-0431.pdf>

BRASIL. RESOLUÇÃO – RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE 2013. Segurança do Paciente. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2013/rdc0036_25_07_2013.html>

SANTÍ, Tiago; et al.. Erro de medicação em um hospital universitário: percepção e fatores relacionados. 2014 Disponível em: <http://scielo.isciii.es/pdf/eg/v13n35/pt_administracion1.pdf>

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ranking 7 melhores cursos EAD em 2021!

A educação a distância ganhou grande destaque durante a pandemia de Covid-19 no ensino escolar brasileiro, mas a modalidade já era conhecida no ensino superior,