A Importância da Humanização no Ambiente de Urgência e Emergência

Este trabalho tem como objetivo entender o conceito de humanização do paciente e sua importância frente ao ambiente hospitalar, outrossim, identificar e descrever o papel da equipe de enfermagem, frente as demandas relacionadas a humanização do paciente.

Este texto é fruto da disciplina de Pós-Graduação “Produção e Inovação Científica” ministrada como último módulo para a formação dos alunos da Laboro. Nela, os alunos aprendem como aplicar conceitos e ferramentas de forma assertiva e criativa para fomentar a inovação na ciência.

Autora: Luana Souza, aluna da Pós em Gestão da Assistência de Enfermagem em Urgência e Emergência

Orientadora: Profa. Ma. Bruna Almeida

A palavra “humanização” deriva do latim humanus. A humanização é um processo digno, solidário e acolhedor, que deve ser ofertado pelos profissionais de saúde, promovendo atendimento com caráter de prolongar à vida ou prevenir maiores complicações a vida do paciente (DESLANDES, 2011).

De acordo com Andrade (2009), a Constituição Federal Brasileira 1988 prevê a humanização do paciente, onde garante que todos os acessos à assistência à saúde devem ser de forma resolutiva, igualitária e integral. O Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar, foi implantado pelo Ministério da Saúde, onde refere que é necessário valorizar o ser humano, com boa estrutura hospitalar, com organização moderna, solidaria, que atendam as expectativas do usuário.

Para Barbosa et al. (2007), os termos urgência e emergência, diferenciam-se, a piore urgência é atribuída ao paciente em que há risco de vida, já emergência requer atendimento imediato, pois há risco iminente de morte. Sendo assim, toda pessoa que procura atendimento emergencial, em uma unidade de saúde, pode ser que venha estar com ânimos aflorados pela circunstância, desta forma o profissional da área da saúde, deve direcionar um atendimento humanizado, acolhedor e colaborador ao paciente e seu acompanhante.

Dentre as dificuldades enfrentadas pela enfermagem para prestar um atendimento humanizado, tem-se excesso de responsabilidade, carga horária de trabalho exaustivo, carência de funcionário, remuneração insuficiente, dificuldade de diálogo, entre outros. Conforme Reis (2014), no setor de urgência e emergência, a humanização deve ser praticada diariamente, pois a humanização aperfeiçoa o atendimento em todas as áreas da saúde e o grande beneficiado é o paciente que recebe atendimento digno de confiança e com respeito.

É necessário que ocorra tanto a humanização do atendimento, como a humanização do profissional, tendo em vista que estes profissionais devem ser conscientes das suas funções no âmbito hospitalar, pois a rotina do dia-a-dia é cansativa e muitas vezes exaustiva, no entanto, deve ser encarada com tranquilidade e responsabilidade (REIS, 2014).

A equipe de enfermagem deve ser treinada para dar um atendimento humanizado aos pacientes, o enfermeiro por sua vez, tem a função de classificar o paciente de acordo com sinais e sintomas, ou seja, o estado clínico do mesmo, utilizando os protocolos propostos pela instituição. Desta forma o atendimento humanizado requer cuidados específicos, onde são definidas prioridades, onde se evita complicação, tudo isso esta intimamente ligado aos conhecimentos adquiridos pelo enfermeiro, pois é a conduta ideal que irá permear o resultado esperado pela equipe de enfermagem.

Portanto espera-se que as politicas publicas voltadas para o assunto, humanização do paciente, sejam colocadas em prática, claro que é imprescindível, que todos os profissionais da área da saúde, se aprofundem neste assunto, uma vez que, tanto o profissional quanto o paciente ganha com isso. Ressalta-se que é de extrema importância que para o profissional exercer a sua profissão com excelência, ele tenha ferramentas para isso, pois para se ter uma humanização do paciente tem que haver primeiramente uma humanização do profissional.

Se você se interessou por esta área se especialize, saiba mais sobre nossa Pós em Gestão da Assistência de Enfermagem em Urgência e Emergência clicando aqui

 

REFERÊNCIAS

ANDRADE, Luciene Miranda de et al. Atendimento humanizado nos serviços de emergência hospitalar na percepção do acompanhante. Revista Eletrõnica de Enfermagem, Fortaleza, v. 11, n. 1, p.151-157, 2009.

BARBOSA, Ingrid de Almeida; SILVA, Maria Júlia Paes. Cuidado humanizado de enfermagem: o agir com respeito em um hospital universitário. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 60, n. 5, p.546-551, out. 2007.

DESLANDES, Suely F. Humanização dos cuidados em saúde: conceitos, dilemas e praticas. 2ª reimpressão. Rio de Janeiro: Fiocruz, p.33-48, 2011.

REIS, Maria Beatriz Viva Brandão. Atendimento humanizado em urgência e emergência. 2014. 21 f. Monografia (Especialização) – Curso de Especialização em Linhas de Cuidado em Enfermagem – Área em Urgência e Emergência, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2014.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como se aprende a Ensinar

Como se Aprende a Ensinar?

  Para se refletir sobre “Como se aprende a ensinar” é necessário perguntar se “ensinar é o mesmo que ser professor?”. Como se sabe a